Nuas contra o turismo sexual

| 16 de junho de 2012 | 0 Comentários

Protestos em que as mulheres ficam com os seios à mostra querem conquistar as brasileiras

Por Kátia Pereira

As manifestações de mulheres nuas querem ganhar adesão no Brasil. A partir do segundo semestre, os protestos organizados pelo Femen, grupo feminista que teve origem na Ucrânia, visam levantar uma séria bandeira, especialmente com a aproximação da Copa do Mundo e das Olimpíadas – o combate ao turismo sexual de mulheres e crianças.

Até agora, no país do Carnaval, onde é comum mulheres com os seios e o bumbum de fora desfilando na avenida, apenas três aceitaram tirar a blusa para representar o braço brasileiro do movimento feminista por aqui.

O Femen não é contra a mulher-fruta. Mas a mensagem que elas passam do Brasil no exterior fortalece o turismo sexual”, diz Sara Winter, 19 anos, primeira integrante do Femen no país e que pretende convencer mais mulheres a fazerem topless como forma de protesto. Nos bastidores, há uma equipe de 30 pessoas envolvidas na ideia, entre advogados, tradutores e assessores.

Segundo Sara, para ser integrante do Femen, é necessário se identificar com a causa, ter vontade de lutar, estar preparado para enfrentar a polícia, superexpor-se e até perder o emprego.

Quando as meninas da Ucrânia começaram a protestar, ninguém se importava. Quando testaram a estratégia de tirar a blusa, a mídia começou a dar atenção”, explica.

Embora tirem a roupa, as ativistas do Femen são contra a indústria da pornografia. “Eu uso meu corpo para lutar. Mostrar o corpo é um jeito de dizer ‘ele é meu e faço o que quiser com ele’”.

Tags: , , , ,

Categoria: Destaque, Polêmica

Escrito por ()

Deixe um comentário

Neste espa���§o do site voc���ª pode opinar sobre o que gostaria de saber mais. Especialistas das ���¡reas do direito e da sa���ºde, al���©m de analistas comportamentais v���£o responder a sua pergunta. A cada semana, teremos um assunto novo que poder���¡ incluir o que voc���ª deseja saber.

Neste espa������§o do site voc������ª pode opinar sobre o que gostaria de saber mais. Especialistas das ������¡reas do direito e da sa������ºde, al������©m de analistas comportamentais v������£o responder a sua pergunta. A cada semana, teremos um assunto novo que poder������¡ incluir o que voc������ª deseja saber.